De Papo Comigo

5 ladrões de energia

5221383816_04b845f71d_z

Vejam algumas situações que podem conduzir a um desperdício de energia e o consequente estresse, especialmente quando estão relacionadas a assuntos profissionais:

1-Trabalho emocional

Ocorre quando temos um comportamento diante de outras pessoas, que geralmente oculta o que pensamos e sentimos a respeito delas. Quanto mais formal é uma situação, como num contato profissional, mais temos que que modular o tom de voz, calibrar sorrisos,  exalar um determinado estado de espírito que não é realmente o nosso.

O trabalho emocional é algo que fazemos constantemente quando estamos na presença de qualquer indivíduo, mesmo os mais íntimos. Enquanto alguém nos fala ou toma alguma atitude, uma voz dentro da nossa cabeça vai fazendo um discurso paralelo criticando, xingando, debochando etc; mas externamente nos esforçamos para demonstrar outra coisa. É a máscara que temos que usar constantemente.

Uma maneira de aliviar esse problema, é reservar algum tempo do dia para permanecer sozinho.

2-Efeitos da overdose

Trata-se de uma super exposição a algo que se gosta de fazer. Pode ser o trabalho ou um hobby que a pessoa se vê capaz de executar com prazer por toda a vida em tempo integral, mas se de fato ela for exposta ao excesso dessa atividade, aos poucos a rotina passa a ser insuportável.

EX: A pessoa adora dança. Faz horas de aulas dança todos os dias incluindo sábados e domingos. Sai para dançar cinco vezes por semana. Começa a dar aulas de dança. Passa a ter predominantemente amigos dançarinos. Namora um dançarino. Os papos quase sempre são em torno de dança. Chega uma hora que a pessoa fica exausta só de ouvir a palavra dança.

O ideal é que não se entregue em demasia a uma coisa só.

3-Excesso de alguma coisa boa

Aqui também se trata de algo que a pessoa gosta de fazer, e em certa medida é algo que relaxa; mas, então, o sujeito se anima e passa a fazer excessivamente, levando-o a exaustão.

EX: A pessoa se sente relaxada treinando percussão todo dia por alguns minutos, mas passa a fazer duas horas por dia e, isso, começa a deixá-la tensa.

Fulana adora conversar com uma amiga, mas esta, ultimamente, só fala dos problemas com o marido, e isso faz com fulana fique estressada e desanimada do excesso de papo sobre um mesmo e desinteressante assunto.

O ideal é moderar qualquer coisa que goste de fazer até o ponto em que ainda está dando prazer. Se depender de outra pessoa, o melhor é tentar desviar a situação para outro caminho ou evitar contato.

4- Interrupções

Telefone tocando o tempo todo… checando email… verificando o Whatsapp… conferindo as últimas notícias na Internet… adiantando algum trabalho… recebendo um ligação via Skype… trabalhando mais um pouco… ligando para saber como vão as coisas… dando uma passada no facebook… trabalhando mais um pouco… alguém aparece para falar algo… recebe um SMS…

5- Entusiasmo incessante

Aqui ocorre o que se chama de “estar ligado na tomada”. No trabalho, se reflete em pessoas que estão sempre estimuladas a fazer mais, permanecer mais tempo no local de trabalho, superar expectativas e metas, ir além do esperado, ser produtivo, se deixar contagiar pelo estímulo do grupo de colegas, mergulhar de cabeça num projeto e demonstrar vigor e vontade.

O problema é que tudo isso em muito pouco tempo vai se tornar exaustivo, a pessoa não terá como manter o mesmo pique por longo tempo e não suportará a sensação de decadência que a diminuição dessa atividade acarretará, levando-a a pedir demissão.

Mais uma vez, o importante é saber estabelecer limites.

Fonte: Restore Yourself de Edy Greenblatt

Veja também:

5 doadores universais de energia

Síndrome de Burnout

Como se recuperar da fadiga profissional – 1º passo

Use a diferença contra o estresse profissional

Tire as etiquetas e afaste o estresse

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.