Como conseguir boa sorte

trevo

Não há magia para conseguir boa sorte, bastam dois requisitos: exposição e ação.

Vi muitas pessoas adquirirem as coisas que desejavam de forma relativamente fácil e rápida. Sempre creditei a elas uma rara capacidade e me perguntava o que tinham de especial. Costumava defini-las  como lutadoras e autossuficientes, uma espécie de seres onipotentes.

Um dia, refletindo sobre meus concorrentes, fiquei chocada ao perceber que a única diferença entre nós era que eles se expunham, davam a cara para bater, tinham uma vontade ou idéia e iam atrás  de quem pudesse ajudá-los. Não esperavam reconhecimento, não esmolavam atenção, não se prendiam ao orgulho, não cediam à vergonha. Esses super-homens(a meu ver) eram pessoas que pediam favores, requisitavam empréstimos, propunham sociedades(mesmo que não tivessem um tostão), negociavam trocas e, sobretudo, espalhavam seus projetos aos quatro ventos(e persistiam), até que conseguissem obter o apoio desejado. Não saíam de cena, estavam sempre em algum lugar que pudessem ser notados. Não eram necessariamente os mais talentosos, os mais inteligentes ou os mais simpáticos; eram os que mais agiam e mais se expunham.

Então, caro leitor… você que é expansivo, extrovertido, confiante e assanhado estará a me xingar por eu falar algo tão óbvio, porém para aqueles mais enrustidos, inseguros, envergonhados e que acreditam que deveria ter seus méritos reconhecidos… a coisa pode parecer meio assustadora e não é nada simples, pois ninguém que passe a vida temendo a rejeição ou empacado na idéia de que haverá justiça divina , de repente, se torna um poço de determinação e cara-de-pau.  Sendo assim, vão alguns conselhos que servem para acender o seu pavio:

1- Faça primeiro e aprenda depois

Isso mesmo! Parece irresponsável, mas se você gosta muito de algo,  não espere até estar pronto ou possuir alguma condição especial para ir atrás das oportunidades.

Tudo o que fazemos no início de uma carreira, negócio ou aprendizado, é feito de forma medíocre, então é preferível não ser tão bom num primeiro momento, mas estar aberto a inúmeras possibilidades.

Exemplo:

Já vi alunos que tinham plenas condições de irem a um baile, mas não se achavam prontos. Não indo, eles perdiam a oportunidade de ganhar experiência real e fazer novos contatos e amigos, desperdiçando assim conexões que lhe poderiam trazer crescimento e sorte.

2- Não olhe para o que o outro está fazendo

É terrível quando temos um projeto e descobrimos que tem alguém que faz exatamente o que desejamos, e numa performance extraordinária. Há uma mistura de inveja, desânimo, tristeza e uma enorme vontade de desistir. Nesse caso, a melhor saída é deixar de olhar o que o outro está fazendo. Não se influencie, não se contamine, não copie. Faça exatamente do jeito que você acha que deve ser e de acordo com o que você é. Coloque sua personalidade, sua alma e seu talento. Tem gosto para tudo! (Já até conheci gente que não achava o Brad Pitt bonito!) O foco excessivo no trabalho alheio pode bloquear a visão para novas possibilidades.

Exemplo:

Só quando cheguei aos anos finais da minha carreira de professora de danças, é que vi que não valorizei meu trabalho, já que o comparava com o do outras pessoas. Por um longo tempo, não enxerguei minhas peculiaridades e isso me impediu de tomar um rumo diferente. Aliás, o princípio do fim foi justamente quando me aproximei de fazer o que os outros faziam e me distanciei do que eu realmente era.

3- Acreditar no desejo, no instinto

Sabe aquela coisa que bem lá no fundo você tem curiosidade para saber qual que é? Tente!

Não importa se você tem talento para a tarefa ou pareça algo muito difícil, o importante é você aceitar o desafio e encarar. Cada vez que fazemos algo que nos desafia, isso nos deixa mais confiantes. Não quer dizer que você vai encontrar uma profissão(pode até acontecer), mas o objetivo aqui é você seguir a trilha para onde seus instintos te levam. Mesmo que a experiência se mostre um fracasso, você vai adquirir força, ter algo por que se orgulhe e, eventualmente, ter a certeza do que você não quer.

Exemplo:

Eu sempre tive um chamado para a percussão. Não tinha nenhuma habilidade, mas quando adquiri condições propícias(lê-se money) eu peguei aulas e desfilei numa bateria de Escola de Samba(grupo3). Entre inseguranças, preconceitos e estresse o resultado foi magnífico e inesquecível. Definitivamente, minhas chances de ser percussionista são em torno de 20%, mas a riqueza da experiência, a felicidade alcançada e a conclusão de que deveria investir meus recursos em algo em que tivesse maiores talentos(se não quisesse acabar na mendicância) me contribuiu muito, pois fiquei com a moral nas nuvens, adquiri “casca”, fiquei mais confiante, conheci um monte de gente, me senti parte de um grupo e vivi uma experiência nova.

4- Faça algo que vá ao encontro do que você é ou quer

Não faça algo que seu instinto grite o contrário. Não aceite um trabalho ruim, uma situação degradante ou alguma migalha que te joguem apenas porque  é uma oportunidade. Nem toda oportunidade é boa! A não ser que a outra opção seja morrer, sempre procure estar no canal daquilo que você gosta, seja em termos profissionais, de lazer, de amor, de amizades etc.

Fonte: I could do anything if I only knew what it was,… – Barbara sher