De Papo Comigo

Como minha “síndrome do pânico” acabou da noite para o dia

síndrome do panico

Em 1985, ninguém conhecia a Síndrome do Pânico por esse nome. Nenhum médico nunca deu um diagnóstico durante os três anos em que sofri desse mal e, embora meu título pareça enganação, minha doença acabou literalmente da noite para o dia.

Meus sintomas

O que posso lembrar é que qualquer saída à rua era um grande sofrimento, pois o coração acelerava, em seguida vinha uma grande falta de ar e o pensamento ininterrupto de que estava morrendo. Tremia e suava frio. Quase não conseguia engolir mais nenhum tipo de alimento em locais públicos. Estar em ambiente fechado como no ônibus, no cinema e no elevador era insuportável. Comecei a ter arritmia cardíaca, infecções urinárias e ginecológicas múltiplas, dores estomacais, dificuldades para dormir(ao ponto de ter que fazê-lo sentada na cadeira de praia), tristeza e mais um monte de sintomas físicos que me levaram a dezenas de consultas e exames médicos, sendo que tudo dava como ok.

As tentativas de cura

Por três horrorosos anos, vi em mim mesma a causa da doença, pois achava que era suficientemente contubada para isso…haha! Cheguei a fazer um ano de psicoterapia, mas não ajudou em absolutamente nada. Rezar, tomar passes, meditar, namorar, conversar, sair com amigos ou qualquer outro tipo de recomendação padrão para pessoas com distúrbios emocionais também tiveram efeito zero.

Fui a vários tipos de especialistas, com exceção de psiquiatras(pois os planos de saúde não facilitavam a consulta com eles), e ninguém me deu qualquer tipo de remédio para meu problema… aliás, uma única vez, uma médica me receitou um antidepressivo, mas não me avisou que geralmente esta medicação piora os sintomas durante  as primeiras três semanas de tratamento e foi exatamente o que aconteceu: entrei num abismo e parei o medicamento.

Os riscos negligenciados

Os trocentos médicos aos quais me consultei, tinham por hábito perguntar se eu usava algum remédio e eu sempre repondia que utilizava apenas pílula anticoncepcional. Todos eles minimizaram o uso da pílula e a consideravam inofensiva. Mesmo quando eu sondava essa possibilidade, já que a bula descrevia os efeitos colaterais mais abomináveis, geralmente eles diziam que o anticoncepcional não tinha nada a ver com meu estado.

O fim da doença

Após três anos de martírio com a Sídrome do Pânico e três anos usando anticoncepcional, me esqueci de tomar a pílula por uns dois dias seguidos e preferi abandonar por aquele mês e retornar o uso em trinta dias. Foi assim que se deu o milagre de sair da doença da noite para o dia! A pílula anticoncepcional era a responsável pelo meu problema. Fiquei tão maravilhada com essa revelação, que no mês seguinte voltei a tomá-la, só para constatar, e tudo de ruim voltou novamente. Parei, então, para sempre!

O alerta!

Hoje em dia, as pessoas leigas e os médicos já são mais conscientes de que os anticoncepcionais podem ser devastadores e indutores aos distúrbios de ansiedade, mas mesmo assim vejo muitas mulheres que fazem uso da pílula acreditando que ingerem algo inofensivo. Portanto este texto é uma alerta para que pessoas que utilizem anticoncepcional interrompam o uso caso comecem a sentir algum problema físico ou psicológico que seja tão incapacitante como a Síndrome do Pânico.

Veja também:

19 idéias que matam

Como se recuperar da fadiga profissional – 1º passo

Antidepressivos e seus efeitos colaterais

13 fatos sobre perfumes

A escravidão no século XXI

11 thoughts on “Como minha “síndrome do pânico” acabou da noite para o dia

  1. Paulo

    Olá ….minha namorada começou a tomar anticoncepcional e na mesma semana ela se sentiu muito mal com sindrome do pânico …ela suspendeu o anticoncepcional e agora está melhorando …mas está tomando calmante para dormir ….E vai tomar por um tempo antidepressivo, para não ter mais crises ….será que isso é necessário ou só parar de tomar anticoncepcional resolve ? O que acha ?

    1. Helô de Castro Post author

      Oi Paulo! Olha, no meu caso foi só parar. Mas… embora eu tenha sentido uma melhora imediata, ainda assim tive por um bom tempo algumas crises de ansiedade esporádicas. Quando se tem síndrome do pânico se fica muito inseguro. Os antidepressivos são remédios com muiiiitooos efeitos colaterais ruins. Obviamente não conheço o caso da tua namorada, mas se fosse comigo eu tentaria me manter sem os antidepressivos por mais uma ou duas semanas para ver o que acontece, porém se não der certo, talvez valha à pena embarcar na medicação. Existe uma técnica chamada EFT(emotional freedom technic) que é excelente para controlar ansiedade. Foi a melhor coisa que conheci até agora para isso. No Youtube é possível achar vídeos ensinando a técnica, que é super simples e funciona. Há uma moça chamada Fabiana Santos que fez uns vídeos explicando o procedimento. Vale à pena tentar antes de mergulhar no caos que o antidepressivo faz ao corpo. Agora, se ela realmente resolver tomar antidepressivo, é bom que saiba que o medicamento demora entre 3 a 5 semanas para fazer um efeito positivo na mente. No intervalo dessas três semanas, os sintomas podem até piorar. É esse o motivo que muita gente abandona os antidepressivos e sai dizendo que não deu certo. A pessoas não foi devidamente instruída pelo médico a persistir até que o bom efeito apareça. Também há a possibilidade do antidepressivo, realmente, não ter funcionado… portanto, se após 6 semanas não houver nenhuma melhora é sinal que tem que alterar alguma coisa na medicação. Só o médico vai poder fazer isso. Também não se pode parar antidepressivo repentinamente. Deve haver uma descontinuação gradativa, diminuindo aos poucos a dosagem(para a maioria dos antidepressivos). Percebe como é complexo tomar antidepressivo? Por isso acho vantajoso se dar mais uma chance de não tomá-lo ou consultar um outro médico para ver o que ele fala a respeito. Espero que tenha ajudado e obrigada pela participação. Não esqueça de tentar a EFT… é maravilhosa!

  2. Aline

    Estou c Diu Mirena há 4 anos e ele está muito baixo, voltei a menstruar e estou tendo crises brabas de pânico, coisa de louco. Nunca tive dessa forma e li seu blog achando ser meu diu, quem sabe ?! Obrigada p cpt.

    1. Helô de Castro Post author

      Oi Aline! Olha, se seu DIU está com um efeito baixo, então deveria acontecer o contrário, você deveria estar melhor e não com crises de pânico, embora um desequilíbrio hormonal possa criar sim crises de ansiedade. De qualquer maneira, a melhor forma de saber é retirar o Diu, ficar um tempo sem ele e ver o que acontece. Na verdade, como estou respondendo com muito atraso, você já deve ter tomado alguma decisão e chegado a uma conclusão sobre o que aconteceu. Acho que quem toma hormônios sintéticos deve sempre estar atento a qualquer problema de saúde e atentar se não estão relacionados a eles. Talvez, você deva procurar suspender sua menstruação com hormônios bioidênticos, pois esses sim causam poucos efeitos colaterais. Obrigada pela participação.

  3. Jéssica salmin

    Gente já faz 6 anos que eu tomo anticoncepcional e desde quando eu comecei a tomar eu comecei a ter crise de síndrome do pânico primeiro começou com uma ansiedade muito forte e depois veio os ataques da síndrome do pânico só que só agora que eu fui parar para pensar, E pensei será que pode ser o anticoncepcional eu venho orando e pedindo para Deus uma resposta para saber o porquê dessas crises sendo que eu nunca tive problemas psicológicos não passei por nenhum problema na minha família nada para aparecer essa síndrome do pânico então comecei a perceber que pode ser do anticoncepcional e agora depois de seis anos tomando eu vou dar uma pausa e vou parar de tomar para ver se melhora, o anticoncepcional que eu tomo é o microvilar sempre tomei ele nunca troquei alguém pode me dizer se ele pode tá causando essa síndrome do pânico em mim porque toda vez que vou na ginecologista ele sempre fala que não tem nada a ver sempre fala que esse remédio não pode causar essas coisas só que na bula mesmo fala que pode causar depressão e outras coisas muito ruins para saúde me ajudem por favor se puder me responder ficarei muito grato beijos

    1. Helô de Castro Post author

      Oi Jéssica! Comigo foi exatamente isso que aconteceu. Eu também tomava Microvilar e também ouvia esse blá blá blá médico de que pílulas não poderiam causar esses efeitos.
      A última coisa que as indústrias farmacêuticas querem é colocar uma lista imensa de efeitos colaterais em seus produtos, pois querem vender… então, quando eles dizem que um determinado efeito pode ocorrer é porque pode mesmo!!!! É real, não tá alí para criar conteúdo para a bula. Tem mulheres que sofrem embolia pulmonar, enxaqueca e trocentos outros problemas por causa das pílulas, sendo assim, a melhor forma de você saber é ficar alguns meses sem usar e ver se sentiu alguma diferença. Eu nunca mais quis saber de homônios sintéticos em minha vida. Boa sorte! Abraços.

      1. Paulo

        Olá ….minha namorada começou a tomar anticoncepcional e na mesma semana ela se sentiu muito mal com sindrome do pânico …ela suspendeu o anticoncepcional e agora está melhorando …mas está tomando calmante para dormir ….E vai tomar por um tempo antidepressivo, para não ter mais crises ….será que isso é necessário ou só parar de tomar anticoncepcional resolve ? O que acha ?

  4. Jessica

    Você não poderia dizer a marca do anticoncecional que você tomava? Porque existem vários e que fazem diversos efeitos em diferentes mulheres. Fiquei curiosa pq tenho a Síndrome há 10 anos, e também há 10 anos tomo a pílula anticoncepcional. Meu e-mail está aí se você não quiser falar publicamente. Agradeceria pela informação.

    1. Helô de Castro Post author

      Oi Jéssica! Olha, Minha síndrome do pânico foi na idade da pedra, então eu tomei anticoncepcionais que, acredito, que não sejam mais tão usados, que foram o trinordiol(por curto período) e o mivrovlar(a maior parte do tempo). Mas algumas pessoas são mais suscetíveis a hormônio, especialmente os sintéticos… é do organismo de cada um. Dezessete anos depois que parei com as pílulas fiz uma experiência de retomá-la usando uma, que não lembro o nome, mas sei que tinha nome de mulher e era considerada super inofensiva, e o resultado foi o mesmo… em poucos dias comecei a ficar meio deprimida e suspendi para sempre. Mas…em 2010 eu fiz uma reposição hormonal com hormônios bioidênticos – com estradiol e testosterona- e não tive nenhum efeito adverso. Foi apenas por um ano. O que significa que comigo ocorreu apenas com os hormônios sintéticos. O problema é que os hormônios bioidênticos ainda são caríssimos e nem todo médico os receita, pois essa seria uma opção boa, inclusive suspenderia totalmente a menstruação. Agora, no seu caso, acho que você poderia retirar a pílula por um mês e ver o que acontece, não custa nada. Se você perceber que não houve nenhuma diferença, então a pílula não tem nenhuma relação com sua síndrome do pânico, mas acho que o fato do uso da pílula coincidir com o tempo em que está com a doença é algo relevante.
      Tem mulheres que tomam pílula a vida inteira e não sentem nada; outras sofrem embolia pulmonar e morrem… depende de cada organismo! Uma vez eu perguntei a uma ginecologista sobre isso e ela me disse que algumas pessoas de fato não toleravam o uso de anticoncepcionais.
      Espero que tenha ajudado! Fique à vontade para perguntar qualquer coisa se ainda tiver alguma curiosidade.

  5. Jorge Ramiro

    Helô, teu blog é bárbaro!Tem uma estética muito chique e um conteúdo interessantíssimo.
    Olha,perdoe a “invasão”,mas Eunice comentou comigo e como amo blogs,vim visitar o seu e estou adorando o que estou conhecendo,parabéns!!Vou voltar muitas vezes e depois comentamos sobre esse seu trabalho.
    Grande Beijo,E Parabéns!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.