Doença na gengiva e obesidade

5486282635_4ea0b82a24_n

Agora, estão associando também cárie e doenças na gengiva como resultados da obesidade. Há um monte de explicações técnicas, se referindo a insulina, proteínas inflamatórias, citocinas e o escambáu.

Não sou médica, dentista e nem especialista em nada, mas posso colocar um outro ponto de vista, baseado no bom senso.

Primeiro: A maioria dos gordos comem mais do que a média e adoram alimentos com açúcar ou que ficam agarrados nos dentes, tipo macarrão, pão etc.

Segundo: Gordo come a toda hora, por isso não dá para ficar escovando os dentes o tempo todo.

Terceiro: Engordar pode tornar a pessoa mais lenta, com menos prontidão para levantar da cadeira e mais preguiçosa e com dores nas pernas, o que facilitaria não escovar os dentes e passar fio dental com frequência.

PS: Não estou dizendo que gordo é preguiçoso e porco, mas muitas situações relacionadas a obesidade(como fadiga crônica por exemplo), podem deixar a pessoa indisposta e letárgica. Se consideramos os preconceitos sofridos, os insucessos em inúmeras dietas, o ganho sistemático de peso e a dificuldade de controlar a compulsão alimentar, é possível concluir que o desânimo e os fracassos poderiam induzir ao  desleixo.

Quando sofri de fadiga crônica mal conseguia levantar da minha mesa do computador para deitar na minha cama, que fica a um metro e meio da mesa. Praticamente dormia sobre o computador e, claro, quando tinha forças para levantar já havia dormido por horas sem escovar os dentes.

Portanto, acho importante não se criar mais um estigma para os obesos de que tendem a ter doença periodontal. É mais correto dizer que pessoas que estão sofrendo de doenças que lhes roubam a energia as fazem adquirir maus hábitos que, estes sim, conduzem aos danos na gengiva.

Veja também:

Antidepressivos e seus efeitos colaterais

Tire as etiquetas e afaste o estresse

Bilirrubina

Síndrome de Burnout

Como se recuperar da fadiga profissional – 1º passo