De Papo Comigo

Interrogatório – Prepare-se ou cale a boca!

4844129635_4461909d02_b

 

 

Suspeitos – culpados ou inocentes-  serão interrogados. Então fique esperto! O que você falar num depoimento pode ser sua ruína na hora que baterem o martelo. A melhor medida é fechar a boca e permanecer em silêncio. Você é inocente e ponto! Eles que se virem para procurar a sua culpa.

Se você tiver um advogado e dinheiro para pagá-lo, ótimo, dá até para esnobar no estilo filme americano, mas… se você é um duro, mas não tão miserável a ponto de conseguir um defensor público, a sua situação é bem pior… além de se preocupar com o depoimento também terá que pensar de onde vai tirar dinheiro para pagar o advogado de porta de cadeia que você vai conseguir. Dessa forma, é provável que chegue a conclusão que é melhor encarar o depoimento à polícia sem advogado mesmo. De qualquer forma, se você não indicar um advogado, o delegado tem até 24 para acionar a Defensoria Pública.

Sendo assim, vão umas dicas para lidar com as armadilhas. Eles vão usar várias táticas, dentre elas:

1- Vão chegar cheios de convicção dizendo que têm certeza que você cometeu o crime(eles não tem certeza);

2- Que o resultados das investigações indicaram que você cometeu o crime(nada disso é verdade, é blefe! não caia!)

3- O investigador vai dar uma pausa depois de te bombardear e ficar te observando(não dê bandeira!).

4- Vão procurar ganhar a tua confiança, se mostrando amigáveis e procurando desculpas para o ato que julgam que você tenha cometido. Vão tentar perceber se você é um tipo emocional ou não emocional e, baseado nisso explorar assuntos que te façam amolecer.

201119344_1dc1e0438d_z

Se te acharem  angustiado, abalado, culpado, nervoso vão te classificar como emocional. Para esse grupo será usado um estilo mais simpático, apelando para a consciência.

1- Irão comentar sobre uma outra pessoa que está sendo acusada por um crime semelhante ao seu. O objetivo é criar a idéia de que aquilo é banal.

2- Podem contar(mesmo que seja mentira) que eles mesmos já foram tentados a praticar um crime semelhante ou que tiveram um parente que já foi condenado por esse crime.

Ex: O suspeito é acusado de estupro, então o policial conta que já quase caiu em tentação ou se mostrar de alguma forma tolerante com esse crime.

3- Podem tentar reduzir o teu sentimento de culpa, dizendo que muitas pessoas comentem atos muito piores e vergonhosos. O objetivo é reduzir o teu embaraço.

4- Dirão que você só cometeu esse crime por estar drogado, estressado, ter sido traído ou qualquer outra desculpa moral.

5- Insinuar que você não queria causar danos, foi um acidente. Tentam que você se auto-incrimine ao se sentir compreendido.

6- Culpam outros ou a própria vítima pelo crime. Por exemplo, insinuando que a vítima de estupro estava com trajes que incitavam o ato.

7- Vão te elogiar ou bajular de alguma maneira. Como acreditam que seres humanos necessitam da aprovação dos outros tentarão criar uma conexão contigo por esse meio.

8- Vão insinuar que a vítima está exgerando quanto a sua atuação no crime. O objetivo é te fazer assumir alguma parte da culpa.

9- Vão te dizer que não é do seu interesse continuar no crime. Que se você confessar agora, evitará problemas no futuro. Essa tática é muito usada com os suspeitos jovens ou que estão sendo acusados pela primeira vez.

10049553243_c65cfed4e8_b

Se você se mantiver mais frio, aparentemente sem remorso ou não se envolver com o interrogatório eles te classificarão como não emocional. Neste caso o maior apelo é ao bom senso e aos fatos.

1- Vão tentar pegar alguma mentira que você tenha contado. Pode ser insignificante, mas vão aproveitar o momento para te deixar abalado psicologicamente.

2- Tentarão te associar ao local do crime, perguntando se você estava num determinado lugar(geralmente perto do crime).

3- Vão sugerir que você cometeu o crime por acidente ou legítima defesa, e não teve a intenção. O objetivo é fazer que você aceite o ato físico do crime, já que tendo a intenção minimizada, você pode pensar que a punição  será menor(não será!).

4- Vão dizer que você  não tem como negar o crime, pois todas as evidências apontam na sua direção, mas que eles só querem conhecer o seu lado da história(Você vai negar sim!).

5- Vão jogar você contra um parceiro-suspeito(caso você o  tenha). Te dirão que ele já confessou, que disse que você foi quem planejou etc(Essa é velha! Tá em tudo que é filme!).

2069733285_1a8fe7b618_b

Quando você negar insistentemente:

1- O interrogador vai te interromper todo o tempo. Não vai permitir que você continue as frases de negação e vai dizer que você tem que ouvi-lo.

2- Se você for muito quieto e sem respostas, eles podem usar a tática do policial bom e do policial ruim. Um agente te trata que nem lixo, grita com você e te ofende enquanto outro se mostra protetor, compreensivo e amigável. O objetivo é te fazer se abrir para o policial bom.

Diz-se que a negação dos inocentes é mais espontânea, enérgica e direta, enquanto a dos culpados costuma ser mais defensiva, treinada e hesitante. Mas é claro que isso é muito relativo, especialmente porque algumas pessoas são extremamente medrosas, inseguras, estressadas e paranóicas sem serem, necessariamente, criminosas.

Os culpados usam mais argumentos e réplicas, porém cuidado, pois quando as justificativas começam a falhar, há uma tendência a se aquietar, se fechar e deixar de ser ativo no interrogátório. Os interrogadores se aproveitam dessa fragilidade.

Quando você se fechar eles irão:

A-  te chamar pelo seu nome,

B- te tocar gentilmente,

C- se sentar perto de você,

D- Olhar diretamente para seus olhos

E-  Apelar, mais uma vez, para questões como decência, honra, religião etc. Se eles conseguirem te fragilizar ao ponto de cair aos prantos é porque você está quase desistindo e confessando, e eles sabem e vão aproveitar esse momento.

5889194627_a0ac20c2c7_b

Se você está prestes a confessar ou confessou:

A- Podem te dar duas opções e dizer que você só tem essas alternativas. Todas as duas são incriminatórias, embora uma pareça vantajosa e a outra pareça bastante ruim. Na verdade, as duas são ruins.

B- Caso você tenha amolecido e confessado, ele vai perguntar sobre todos os detalhes do crime oralmente. Só depois colocarão tudo o que foi confessado por escrito e te darão para assinar. Eles farão isso o mais rápido possível, pois o documento escrito tem um peso muito maior do que o relato oral. Pense muito nas consequências legais antes de assinar. Eles podem te convencer que a confissão minimiza a punição que a justiça dará, mas não é verdade. Ainda há tempo de voltar atrás em tudo o que você disse!

C- Sua confissão também poderá ser gravada. Essa medida ajuda a proteger o suspeito e o policial, pois ambos podem requisitar a gravação para constatar constradições e abusos que possam ter ocorrido.

Lembre-se que, se você está no Brasil,  aqui ainda reina o depoimento extraído na porrada. Quanto a isso não se tem muito o que fazer no momento, mas uma dica dada por pessoas que sofreram tortura pelos nazistas foi a de que se mostrar idiota, tolo, desconexo, pueril, imbecil, retardado mental, falar um monte de besteiróis e voltar atrás pode ajudar a minimizar a ação dos torturadores.

Culpado ou inocente, você merece ser esclarecido sobre os seus direitos e defendido.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.