Sua vocação em 30 segundos. Mesmo?

Muita gente não tem a mínima idéia do que fazer na vida, para que veio neste mundo e vive à procura de encontrar algo prazeroso que possa transformar em fonte de renda.

Aí… vem algum especialista e diz que em trinta segundos fará você descobrir a sua vocação(muitos chamam também de paixão).

Método

Para tal, basta que imagine que ganhou uma fortuna na loteria, tipo… 300 milhões de euros(isso mesmo! Sorria!!!! A loteria ainda é européia!). Em seguida, relaxe! Feche os olhos e pense em tudo o que faria se tivesse agora com toda essa bufunfa, sem se preocupar com dinheiro e só fazendo as coisas que gosta. 

Mas, vamos ver como isso pode ser útil para o camarada de 65 anos que ainda não descobriu sua vocação, além de estar na dureza… e no Brasil. Suponhamos que ele percebeu, que rico, passaria todos os seus dias na praia tomando água de côco. Só! Essa é a vocação dele! Como isso poderia  ajudar o indivíduo a encontrar uma profissão?  Daria para salva-vidas?(o cara detesta nadar, morre de medo de ondas); poderia ser vendedor de Mate Leão e biscoitos Globo…ou côco?(já está cheio de problemas físicos para carregar isopor pesado); o que dizer de guia turístico de praias?(detesta dar atenção às pessoas); talvez fazer castelos de areia?(Bem… ele não tem talentos artísticos).

Não basta descobrir a vocação ou paixão. Muitas vezes é necessário ter muitas áreas de interesses combinadas, habilidades desenvolvidas e alguma estrutura(material, cognitiva …) para se chegar aonde se quer. Eu, por exemplo, já fui professora de danças. Adorava dar aulas, mas detestava ter que divulgar meu trabalho, não fazia parte de minhas habilidades e isso atrapalhava bastante. Provavelmente haverá alguém que dirá: “então contrate(ou peça) a um outro para fazer isso por você”. Está certo… porém, se eu não tiver grana não poderei pagar esse alguém; e quanto a pedir outra pessoa, eu também poderia não fazer por sentir constrangimento em requisitar favores.

Esse método, portanto, é legal sim para criar uma conexão com as coisas que você gosta, perceber o que dá prazer e quem sabe até pode levar a um caminho profissional, porém ele não define claramente o que se pode fazer com essa revelação. O contexto da pessoa(idade, situação sócio-econômica, família, crenças, outros interesses, medos, caráter, personalidade…) vai ser fatalmente colocado no outro prato da balança para só assim saber se essa vocação tem como ser alimentada fora do cenário de riqueza que o exercício propôs.