De Papo Comigo

Tipos de stalkers: o conquistador inapto

 

stalker estação de trem

Este é um stalker que tenta conquistar um amor ou uma amizade, mas não tem as habilidades para cativar as pessoas. Faz a linha brucutu, grosseirão, chato, insistente e insesnsível. Trata-se de uma figura comum e fácil de se encontrar no dia-a-dia.

É aquele homem ou mulher que não respeita a vontade das pessoas as quais deseja atrair. Não adianta a vítima explicitamente recusar suas investidas, pois ele interpreta isso como um jogo de sedução e persiste ainda mais.

Ele desconhece ou desconsidera as regras sociais para se cortejar alguém. É um tipo cru, que vai direto ao ponto, não tem amenidades, não sabe criar uma atmosfera agradável e se comporta de maneira arrogante.

Entre 20% e 30% desse tipo de stalker usa de intimidação e violência física. 100% vigiam a vítima e se aproximam de maneira inconveniente.

As vítimas
  • São pessoas que ele conhece de vista, colegas de trabalho, colegas da escola, clientes, usuários do mesmo meio transporte ou completos estranhos que ele deseja conquistar.
  • Inicialmente podem ser simpáticas com o sujeito e até se sentirem lisonjeadas com as investidas, porém sem nenhuma intenção amorosa. Algumas se  acham culpadas, acreditando que estimularam a obsessão do stalker ao demosntrarem alguma gentileza.
  • Costumam reagir com surpresa, confusão e irritação. O medo também ocorre, mas nesse tipo de perseguição o sentimento mais comum é o de raiva.
  • Costumam desencorajar e falar de seu desinteresse abertamente para o stalker.
  • Dificilmente tomam medidas legais, pois costumam ser perseguições que duram um período curto, de poucas horas a poucos dias. Quando a vítima é conhecida do stalker, o assédio pode durar por mais tempo.
Características de personalidade e psicológicas do stalker
  • Baixos níveis de psicose.
  • Alto nível de distúrbios de personalidade, principalmente narcisismo e obsessão.
  • Ansiosos. Com alguns traços depressivos.
  • Fazem uso de substância tóxica.
  • Não são propensos à raiva.
  • Se descrevem como inseguros e com sentimento de inferioridade(com exceção dos narcistas que se acham o máximo!).
  • São indiferentes à rejeição a ao incômodo que causam aos outros.
  • Muitos são jovens inexperientes, ansiosos, pouco sociabilizados e que não aprenderam como se comportar na hora de conquistar alguém.
  • Alguns são intelectualmente limitados.
  • Outros são intencionalmente ignorantes.
  • Possuem fracas habilidades sociais.
  • Indiferentes.
  • Arrogantes.
  • Egoístas, agressivos, dominadores, donos da situação.
  • Acham que todas as mulheres querem cair nos seus braços.
  • Interpretam de forma distorcida os sinais dados pelas vítimas. Um “não” pare ele significa “sim”. A raiva é interpretada como interesse e o medo é visto como uma forma de flerte.
O fim da perseguição ocorre quando
  • Fazem tratamentos psicológicos. Costumam ter bons resultados.
  • Sofrem ação judicial. Geralmente recuam.
  • Amadurecem e melhoraram as habilidades sociais.
  • Aprendem as regras da conquista amorosa.

Não é tão fácil pará-los, pois mesmo quando desistem de uma pessoa acabam por atormentar uma nova vítima.

 

Fonte: Stalkers and their victims – De Paul E. Mullen, Michele Pathé, Resemaru Purcell

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.