De Papo Comigo

Tipos de stalkers: o rejeitado

mulher rejeitando

Stalker é a denominação dada a homens e mulheres que perseguem constantemente outros indivíduos. As razões podem ser diversas e os stalkers tem características diferentes entre si. Falarei aqui sobre um dos tipos mais comuns: o rejeitado.

Em média, 90% desse tipo de stalker é do sexo masculino(por isso, vou me referir às vítimas usando o feminino, embora mulheres também sejam stalkers).

As vítimas, em sua maioria, são mulheres mais jovens do que o seu perseguidor.

Trata-se  do indivíduo que não aceita o fim de um relacionamento amoroso e insiste em uma reconciliação, utilizando para isso um comportamento obsessivo, cuja característica é perseguir a vítima até que consiga reconquistá-la. Quando não obtém o resultado desejado: parte para a vingança. Seus alvos podem ser, também, colegas de trabalho, vizinhos ou outros conhecidos que desprezaram suas investidas.

O rejeitado é o tipo que mais intimida, ameaça e ataca fisicamente suas vítimas; e é muito comum usar de violência física e verbal em suas relações.

Se acha “o cara”, gosta de dar as cartas e quer ter a palavra final. O abandono por iniciativa da parceira é visto como um ultraje, especialmente porque os papéis tradicionais masculinos(machismo) são constantemente observados nesse homem, que se atormenta ao perceber sinais de independência por parte de suas companheiras, sobretudo diante da iniciativa de abandoná-lo.

A maioria não possui doenças mentais, mas em geral são portadores de distúrbios de personalidade(antissocial, narcisista, obsessivo-compulsivo, borderline, dependente etc).

O narcisismo é um dos traços mais presentes nesse indivíduo, e é esse tipo o que mais pensa em destruir seus desafetos. Se acha maravilhoso-poderoso-espetacular demais para ser esnobado por um mané qualquer.

Veja: Mulheres stalkers

É comum se colocar como a vítima. Se sente injustiçado e humilhado, atribuindo a ex-parceira todas as mazelas da relação. Costuma se referir a ex como alguém inferior, incapaz, desprezível, indigna do amor, perdedora, traidora ou mentalmente conturbada. Mesmo assim, mantém a obsessão por essa pessoa que descreve como vil.

Mesmo sabendo que tem poucas chances de recuperar o relacionamento, não desiste da perseguição. Se fixa na idéia de que a união deve ser mantida a qualquer custo. Não demonstra empatia ou respeito pelos sentimentos ou desejos da outra parte.

Sua meta é manter o vínculo. Qualquer forma de comunicação vinda da ex-parceira(incluindo xingamentos, ofensas, súplicas para deixar em paz) é vista como sinal de esperança.

Veja: Stalkers: o que as vítimas devem fazer

O ciúme, a desconfiança e a paranóia que demonstra faz com que suas companheiras vivam pisando em ovos e tendo que dar satisfações  sobre todos os seus movimentos, já que são alvos de incessantes acusações de infidelidade. A insegurança e a dependência são traços frequentes nesse indivíduo.

A supersensibilidade à rejeição e uma baixa habilidade social, faz com que tenha dificuldades em estabelecer vínculos de qualquer natureza, mas quando consegue se unir a alguém investe todas as fichas nessa relação. Passa a acreditar que essa é sua única chance para o amor, o que faz com que um rompimento o induza a uma profunda crise de valores.

Por fim, muitos homens(mulheres) que embarcam nessa obsessão o fazem porque estão sem rumo, perdidos, raivosos e sem algum tipo de suporte que os ajude a superar o sofrimento da perda.

O fim da perseguição pode ocorrer quando o stalker:

1- Superar a dor da perda.

2- For pressionado pela polícia; preferindo se manter longe de problemas.

3- For ameaçado por conhecidos da vítima; temendo assim por sua segurança.

4- Se envolver em um novo relacionamento.

5- Procurar ajuda psicológica.

6- Mudar de cidade ou país(ou a vítima).

7- Esgotar todos os seus recursos materiais e físicos.

8- For preso.

9- Morrer(ou a vítima).

Fonte: Stalkers their victims – De Paul E. Mullen, Michele Pathé, Resemaru Purcell

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.